Inovamos mais uma vez no formato de venda dos nossos serviços: agora você pode adquirir o serviço de rastreamento veicular diretamente das gôndolas de lojas, supermercados e também pela internet.

Somos os primeiros no segmento a comercializar o serviço desta forma.
O funcionamento é simples: basta que você compre o cartão, pague no caixa e ligue para nós informando o código impresso na parte de trás do produto.  Durante o contato, você agenda a instalação do rastreador, que pode ser realizada onde você estiver.

“Os cartões fazem parte da nova estratégia de negócios da companhia para aumentar massivamente sua presença no Varejo. Antes, dependíamos das lojas que possuem estrutura para instalar o rastreador. Agora isso mudou”, explica Obson Cardoso, diretor da Unidade de Rastreamento da Pósitron. O novo formato vai permitir que o consumidor adquira o produto via internet ou em qualquer varejista, não somente nas especializadas em carros e acessórios automotivos.

Para todos os gostos

São diversas opções de cobertura a partir de R$ 39,90, que contemplam inúmeros perfis de clientes. As tecnologias utilizadas para o monitoramento são GPS, radiofrequência, GSM e GPRS, todas disponíveis por meio dos Cartões.

Rastreamento + Seguro

Na contratação do serviço de rastreamento, você pode adquirir junto um seguro para seu automóvel, garantido pela parceira BNP Paribas Cardif do Brasil. Cerca de 50% mais econômico em relação aos convencionais, não exige vistoria prévia, não avalia região de circulação do veículo e não faz análise de perfil do condutor. A aquisição é simples e sem complicação e, se o carro não for recuperado, você receberá indenização de 100% de seu valor, conforme tabela FIPE. No caso de taxistas, a indenização é de 70%.

O lançamento dos cartões acontece em parceria com a Peela, empresa especializada em gift cards e pré-pagos.

Clique aqui para adquirir o serviço de rastreamento para seu carro ou moto e aqui para adquirir o serviço de rastreamento mais seguro para seu carro.

Conquistamos o primeiro lugar em cinco importantes categorias do Prêmio Marca Brasil 2015.

 

marca_brasil

O Marca Brasil é considerado um dos mais importantes e expressivos prêmios para o setor empresarial brasileiro por permitir, de maneira clara e objetiva, que os próprios consumidores elejam as marcas de sua preferência. Também cumpre importante papel para o desenvolvimento dos segmentos contemplados, porque estimula as companhias a buscarem melhorias constantes.

De acordo com Celso Santos, diretor Comercial e de Marketing da Pósitron, o reconhecimento do consumidor nestes mercados mostra que a companhia está no caminho certo. “Essa conquista é resultado do intenso trabalho realizado pela Pósitron, que tem como principal objetivo oferecer aos consumidores qualidade e tecnologia de ponta em seus produtos. Investimos muito no controle de testes visando atender, cada vez mais, os altos padrões do mercado”, comemora.

Confira os segmentos conquistados por nós neste ano:

 

ALARME – Com uma linha completa de produtos para o segmento, a companhia é líder de mercado na fabricação e venda de alarmes para automóveis e motocicletas. Os diversos modelos oferecidos contam com sensores de ultrassom, controle remoto de presença e são compatíveis com o sensor de violação da marca. “Essa é a 13ª vez que somos premiados nesta categoria e isso nos motiva a querer produzir sempre o melhor para os nossos clientes”.

CÂMERA DE RÉ – Ao engatar a marcha a ré, o equipamento mostra, na tela do aparelho de som, a imagem de onde o veículo está sendo estacionado, permitindo ao condutor visualizar objetos ou obstáculos e evitar danos em seu automóvel ou no de terceiros. O dispositivo acompanha o fio de acionamento reverse, o que facilita a sua instalação.  Além disso, funciona automaticamente, sem a necessidade de pressionar qualquer botão.

MÓDULOS DE VIDRO – Os módulos de vidros são fabricados com a exclusiva tecnologia PAN (Pósitron Area Network), que permite a comunicação entre todos os produtos da marca instalados no veículo. Além disso, possuem a função antiesmagamento, interrompendo a subida do vidro caso encontre algum obstáculo. Conta, ainda, com alta conectividade na abertura e fechamento dos vidros pelo controle remoto do alarme.

SENSOR DE ESTACIONAMENTO – Dispositivo que emite bips quando a traseira do automóvel estiver se aproximando de algum objeto, auxilia a realizar manobras na hora de estacionar e ativação automática ao engatar a marcha ré. O equipamento complementa o portfólio de segurança automotiva da companhia.

ALARME PARA MOTOS – A Pósitron possui modelos universais e dedicados para motocicletas. Os consumidores contam com tecnologias como a função modo assalto, que aciona a sirene caso o botão secreto não seja pressionado após ligar a ignição ou após levantar o descanso lateral (pezinho). Além disso, o motor de partida é bloqueado automaticamente quando o condutor afasta o controle de presença da moto.

Obrigado pela confiança. São conquistas como essa que nos impulsionam a desenvolver produtos e serviços de alta tecnologia.

Quem nunca viu um motoqueiro parado no acostamento, “brigando” para desarmar o alarme de sua moto que disparou, inadvertidamente, sem motivo aparente? Esse tipo de situação é mais comum em motocicletas do que em carros, e ocorre porque seu sistema elétrico, principalmente dos modelos mais populares, é muito mais desafiador que o dos automóveis, uma vez que tem de ser simples e eficiente, sem as proteções e filtros adicionais. Além disso, a capacidade de suas baterias é menor do que a de outros veículos, ao passo que a tendência à oxidação de terminais e conexões é maior, devido à exposição à água das chuvas e poças.

Esses, entre outros fatores, dificultam a operação dos alarmes de motos que, na maioria dos casos, são de “presença”. Eles funcionam por meio da emissão periódica de sinais de radiofrequência do chaveiro transmissor, que devem ser recebidos pela central do sistema. Caso a central fique um determinado tempo sem receber um código válido, o dispositivo de segurança é acionado.

O problema é que não é possível diferenciar a ausência do sinal provocada pela falta do transmissor (no caso de um roubo, por exemplo), da ocasionada pela interferência elétrica gerada pela própria moto.

Algumas dicas simples podem ajudar a evitar os disparos falsos

• Verifique o nível da bateria do transmissor, que varia conforme a marca e modelo do alarme instalado. Para as CR2032, as mais comuns, o ótimo desempenho é mantido por seis a oito meses. Após este período, o nível do sinal emitido diminui. Lembre-se que os chaveiros de presença gastam energia a cada transmissão periódica e isso ocorre de forma contínua. Uma dica é procurar por dispositivos que possam ser armados e desarmados manualmente, por meio do controle remoto (ensinamos como desarmar o controle de presença dos alarmes Pósitron aqui). Neste caso, ao programar o equipamento, o sistema entende que a motocicleta não está sendo utilizada, e não envia o sinal, o que pode estender a duração da bateria por até dois ou três anos. Quando o produto é desarmado, as transmissões de presença são retomadas automaticamente.

• Escolha um local adequado para a instalação, o que pode ser um grande desafio em motocicletas. No entanto, este é um dos fatores mais importantes para conseguir uma operação confiável do alarme. Cavidades de metal como as existentes embaixo do tanque de combustível devem ser evitadas, pois bloqueiam o envio de radiofrequência. Módulos eletrônicos e sistema de ignição (bobinas, CDI, Cabo de vela) são grandes fontes de ruído e interferência.Em geral, uma boa posição para alocar o dispositivo é aquela que mantém a maior distância possível de grandes superfícies metálicas e de módulos eletrônicos, e que ao mesmo tempo dificulte a localização por bandidos.

• As motocicletas são muito mais expostas a água e umidade do que os carros. Por isso, utilize conexões elétricas protegidas, porque a oxidação nas conexões elétricas pode provocar o acionamento indevido de sensores, flutuações no nível de tensão de alimentação do módulo e maior suscetibilidade a ruídos e interferências. A instalação deve ser executada por profissionais capacitados, utilizando materiais adequados e tomando-se cuidados especiais com a rota adotada.

• Verifique a vela de ignição e seu cabo, pois se não estiverem em boas condições aumentam o consumo de combustível, diminuem a potência da moto e geram alto nível de interferência elétrica, o que provoca falhas no link entre o módulo e o chaveiro transmissor. Cabos de vela resistivos podem ajudar a suprimir interferências indesejadas. Importante ressaltar que esses componentes devem ser verificados periodicamente.

• Mantenha a bateria do veículo em boas condições. Além de ser importante para dar partida, o equipamento em bom estado estabiliza o sistema elétrico, melhorando as condições de funcionamento para alarmes e módulos eletrônicos em geral.

instalador

VOCÊ SABIA QUE A FALTA DE MANUTENÇÃO NA MOTOCICLETA PODE PROVOCAR O DISPARO DO ALARME EM MOVIMENTO?

É isso mesmo! O disparo involuntário do alarme com a motocicleta em movimento pode ser provocado na grande maioria pela baixa carga da bateria do controle remoto (menos de 3 volts) e por defeitos nos componentes de ignição da motocicleta (por exemplo: a bobina de ignição, cachimbo e o cabo de vela). Quando um desses componentes apresentam algum problema, o módulo do alarme deixa de receber o SINAL DE PRESENÇA (enviado periodicamente pelo controle) e entra na função MODO-ASSALTO (ocorre o disparo). Por isso, é importante que seja feita uma rápida revisão no sistema elétrico da motocicleta antes de realizar a instalação do alarme.

Hodômetro

Manter um carro em ordem não é tarefa fácil pra ninguém, principalmente devido ao aumento do preço do combustível. Mas, sabia que com atitudes simples como: manutenção em dia e pilotagem consciente você pode fazer uma boa economia?

Lembrando que, para os motoristas que têm carro bicombustível, ou seja, motor Flex, vale a pena usar álcool somente quando seu custo está abaixo de 70% do valor da gasolina, o que não é o caso atualmente.

As dicas abaixo irão te ajudar a economizar e garantir que você dirija com segurança.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

 

Janela

Andar com as janelas abertas não é recomendável, principalmente na estrada. Em alta velocidade, acima dos 80 km/h, elas permitem a entrada do ar e aumentam a resistência aerodinâmica. Em velocidade constante, o acréscimo de consumo chega a 10%.

 

Velocidade

Para sua segurança e economia, respeite os limites de velocidade. Um carro consome cerca de 20% a mais quando está a 100 km/h comparando-se a quando está a 80 km/h.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

 

Carga

Não viaje com excesso de carga. Quanto mais pesado o veículo, mais energia você gasta para acelerar. Cada 50 kg a mais equivale a 1% de aumento no consumo – isso inclui excesso de tranqueira no rack sobre o carro. Ao aumentar a área frontal, você reduz a aerodinâmica do veículo.

 

Rampa

Para economizar nas ladeiras, acelere antes do início do aclive para não pisar forte no meio do caminho. Nas descidas, desça engrenado pois ao contrário do que se diz, é mais econômico que trafegar com o carro no ponto morto.

 

Aceleradas

Evite arrancadas e freadas bruscas, isso exige mais do motor. Sempre que possível, passe para a marcha mais alta: a marcha errada aumenta o consumo em 30%.

Foto: Foto Reprodução

Foto: Foto Reprodução

 

Pneus

Pneus murchos ou com a calibragem errada influenciam negativamente no consumo. A calibragem deve ser feita no máximo a cada 15 dias, seguindo as orientações das montadoras para pressão, que é diferente para traseira e dianteira e se o veículo está carregado ou não. A indicação de calibragem está no manual do proprietário ou em um adesivo na tampa do tanque ou na porta carro. Os pneus podem ser responsáveis por até 20% do consumo.

 

Troca de marcha

A troca de marcha faz muita diferença no consumo. Todos os veículos trazem no manual do proprietário a velocidade certa para a mudança pois deve-se levar em consideração o torque do carro. Um carro a 40 km/h não pode estar em 5ª marcha, por exemplo. Assim como você não deve chegar a 100 km/h em segunda. Nos dois casos estará gastando mais do que o necessário. O uso do câmbio de ser suave e não há necessidade de “espichar” até o fim.

 

Velas

As velas estão entre os itens de manutenção que mais influenciam no consumo dos carros. Elas precisam ser trocadas exatamente com a quilometragem recomendada pela montadora, que varia de modelo para modelo. E quando uma estragar, todo o jogo deve ser substituído por peças com as mesmas especificações. A função das velas é gerar energia na câmara de combustão para iniciar a queima da mistura ar/combustível. Se ela está ruim, essa queima fica irregular, o que reflete diretamente no aumento do combustível injetado.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

 

Apetrechos

Antes de instalar qualquer acessório no carro, consulte um especialista. Objetos que mudam as características originais tendem a provocar maior resistência contra o ar. Aerofólios, suportes e rodas fora do padrão, por exemplo, influenciam diretamente na aerodinâmica e, consequentemente, no aumento do consumo.

 

Filtros

Os filtros de ar e combustível precisam ser trocados nas datas previstas pelas montadoras, sem desculpas. Em caso de entupimento, eles interferem diretamente na mistura de ar e combustível na câmara de combustão, o que faz o veículo gastar mais, já que a mistura fica irregular.

Cambio

 

“Banguela”

Aquele costume antigo de deixar o carro em ponto morto em descidas, a “banguela”, é coisa do passado. O veículo deve ficar sempre engrenado. Assim, gasta menos combustível do que se estiver em ponto motor. A injeção eletrônica identifica que não é preciso aceleração e corta o combustível. Evitar a banguela também é questão de segurança porque o carro aproveita o freio-motor.

 

Alinhamento

O alinhamento das rodas é fundamental para aerodinâmica do carro. Se o veículo está fora de geometria, as rodas serão arrastadas, em vez de somente girar. Automóvel alinhado, sim, economiza combustível.

 

Ar condicionado

Você não vai passar calor, claro. Mas em dias de temperaturas amenas é possível desligar o ar condicionado. Ele aumenta, em média, 20% o consumo do veículo.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

 

Giro

O ideal é manter o motor do automóvel com rotação entre 2 mil e 2,3 mil giros. Acima disso, o consumo de combustível aumenta consideravelmente.

 
 
 

RASTREAMENTO PÓSITRON

Se você possui frota de carros, caminhões ou motocicletas, vai se impressionar com o Rastreamento da Pósitron! Ele Permite o gerenciamento integrado para otimização na administração da frota e redução de custos. Saiba mais em: positron.com.br/rastreamento

 
 

 

Fonte: G1, Super Interessante  e Pense Carros.

1325489A Pósitron levou seus consumidores e instaladores parceiros da marca para conhecer de perto e viver a emoção de pilotar a Ferrari da Pósitron, acompanhados de um piloto profissional. A ação foi realizada no autódromo Velo Città, em Mogi Guaçu, no último 7 de fevereiro.

O autódromo Velo Città possui um circuito de 3.493 metros, 14 curvas, 15 postos de sinalização e apresenta um desnível de 45 metros entre o ponto mais alto e o mais baixo da pista. É um traçado bastante técnico, que testa a habilidade dos pilotos constantemente, proporciona ultrapassagens e garante fortes emoções durante as provas.

O evento também sediou a fase final do Campeonato Superinstalador, premiando e reconhecendo os melhores instaladores de produtos Pósitron para motos, automóveis e também para o serviço de rastreamento.

 

Dê uma olhada nas fotos e descubra como foi esse dia incrível!

Confira o álbum “Dia de Ferrari da Pósitron” na Fan Page da Pósitron.

 
IMG_5786

IMG_6036

 

 

 

 

 

 

 

 

 

IMG_6138

IMG_6217

 

 

 

 

 

 

 

 

 

DSC_0317

LFC_2300

 

 

 

Positron_ViagemDescansar ou “pular” carnaval?

 

Está chegando o feriado de uma das maiores festas do Brasil, o carnaval. É uma tradição antiga que surgiu a partir da implantação, no século XI, da Semana Santa pela Igreja Católica, antecedida por quarenta dias de jejum, a Quaresma. Esse longo período de privações acabaria por incentivar a reunião de diversas festividades nos dias que antecediam a Quarta-Feira de Cinzas, o primeiro dia da Quaresma.

 
 

Se você prefere fugir das festas e ir para um lugar mais sossegado então vai adorar a Ilha do Cardoso.

 

O PARAÍSO ECOLÓGICO piscinas-da-laje-8
A Ilha do Cardoso fica no litoral sul de São Paulo, perto do Paraná. É um destino ainda bem pouco explorado, muito preservado (pelo menos 90% da Ilha é Mata Atlântica nativa) e cheio de lugares lindos para visitar. Praias desertas, cachoeiras, trilhas e piscinas naturais.
A ilha é dividida em núcleos – o principal é o do Marujá, onde fica a maior “estrutura” da ilha (restaurantes, pousadas, forró), mas também há outros como o Perequê, no nordeste, ou o Pontal do Leste, na extremidade sul da ilha. A lateral ocidental da ilha é formada por manguezais – as principais praias e trilhas ficam do outro lado, no Oceano Atlântico.

 

volta-6
TRAVESSIA PARA A ILHA DO CARDOSO
Dá para fazer a travessia para a Ilha do Cardoso de dois jeitos: de escuna ou de voadeira. A primeira opção é a mais barata, mas tem poucas opções de horário (geralmente a saída é de manhã) e demora três horas. De voadeira custa o dobro, mas em 50 minutos você chega lá. Tem vários barqueiros que fazem a travessia. Tem que ter pelo menos 4 pessoas para fechar esse valor.

 
 

ONDE FICARimg_0554
O Marujá é a principal vila de pescadores da ilha, é onde fica a maior parte das pousadas de lá. A ilha também oferece várias opções de camping, uma boa alternativa para gastar pouco. Outra opção, caso você fique sem hospedagem, é alugar um quarto de um morador.

 
 

#ficaadica… Se você vai viajar, e seu carro tem um som Pósitron com bluetooth, confira as listas Off carnaval que estão disponíveis no Spotify!

 
 

para-brisaO limpador do para-brisa está na lista dos 10 itens obrigatórios em um veículo para manter a segurança no trânsito. Os outros são luzes, freio de estacionamento, ferramentas para troca de pneus, estepe, espelhos, buzina, extintor de incêndio, cintos e pneus em dia. O mau funcionamento ou a ausência desses itens gera multa e pontuação na carteira do condutor.
 
Estar com uma palheta ruim ou sem funcionamento rende multa de R$ 202,12, é falta grave e dá 5 pontos na CNH, conforme determina o CTB (Código de Trânsito Brasileiro). Inclusive, mesmo que seu limpador estiver funcionando, mas você não o ligar durante a chuva corre o risco de ser multado.
 
 
Quando é hora de trocar?

Recomenda-se a que a troca seja feita uma vez por ano ou quando apresentar sinais de desgaste.

Sua eficiência é comprometida quando:

  • O limpador deixa riscos ou faixas no vidro;
  • Mesmo com a palheta funcionando, o vidro fica embaçado e uma névoa é criada;
  • Há falhas na limpeza da água;
  • As lâminas da palheta estão quebradiças, tortas ou ressecadas;
  • Há trepidação e barulho no funcionamento;
  • Folgas no mecanismo da palheta.

 

foto_dicas

 

O que fazer para o limpador funcionar melhor?


Manter o reservatório de água do limpador com a solução de água e limpa para-brisa é um passo fundamental. O uso de sabão ou detergente não específico com a água só faz deteriorar a borracha da palheta antes do tempo. Se o para-brisa estiver limpo isso também aumenta a produtividade do seu limpador. Passar um pano úmido com água nas palhetas depois do uso também ajuda a eliminar sujeiras que diminuem sua vida útil.

 

A Pósitron incentiva um trânsito mais seguro!

 

Fonte: Blog Tuning Parts, Lagoinha e Plantão Alerta

  • baby

Já ouviu falar na Lei da Cadeirinha?

Segundo o Conselho Nacional de Trânsito (Contran), a Lei da Cadeirinha tem o objetivo de oferecer condições mínimas de segurança para o transporte de crianças.

Nos carros com cinto de três pontos, as crianças de até 1 ano devem viajar no bebê conforto. Entre 1 e 4 anos, é preciso transportar as crianças na cadeirinha, que devem ser presas com o cinto. Dos 4 anos até 7 e meio, o transporte deve ser feito no assento de elevação. Em veículos mais antigos, que não têm três pontos, as crianças devem andar apenas com o cinto abdominal.

 

Se você tem filhos pequenos confira os 8 erros mais comuns na hora de colocar a cadeirinha no carro:

Antes de mais nada, confira se o selo do Inmetro está impresso na embalagem. Essa é a sua garantia de um produto certificado e com garantia de segurança.

 

1. Cadeirinha frouxa ou mal instalada

A cadeirinha não pode se mexer mais que dois dedos para um lado ou para o outro, quando estiver presa no carro. Se estiver se mexendo, aperte mais o cinto.

 

2. Cadeirinha virada para o lado errado

Ao transportar bebês de até 1 ano na cadeirinha, tenha certeza que ela ficará virada para o vidro de trás do carro, no sentido contrário ao movimento. Esta é a posição obrigatória por lei, por ser considerada por especialistas como a mais segura para crianças bem pequenas, por causa da sustentação do pescoço em caso de batida ou freada.

 

3. Cadeirinha pequena demais ou grande demais

A criança vai precisar de algum tipo de cadeirinha, no mínimo, até os 7 anos e meio. Isso pode parecer um tanto quanto caro, mas não adianta utilizar a mesma para sempre se ela não for mais compatível com o peso ou tamanho.

 

4. Cinto de segurança largo demais na criançacadeira

O cinto da cadeirinha tem de ficar justo na criança para que ela não se solte e nem sofra impacto com o próprio cinto em caso de batida.

Como referência, afivele o cinto e veja se a distância entre ele e o corpo do bebê é de um dedo. Se conseguir enfiar dois dedos, um por cima do outro, o cinto precisa ser ajustado. Às vezes é necessário tirar aquele casaco mais grosso da criança para ficar mais fácil colocá-la no cinto.

O cinto precisa passar por cima do ombro da criança. Nunca prenda só a parte de baixo. O impacto da barriga da criança com o cinto, na região abdominal, sem os ombros estarem presos, pode causar danos internos aos órgãos.

Se houver um clipe unindo as duas alças do cinto na altura do peito da criança, preste atenção para deixá-lo bem em cima do osso do peito, que é a parte mais dura e protegida do tórax. Posicione-o na linha da axila da criança.

 

5. Deixar de usar a cadeirinha “só desta vez”

Você vai ali bem pertinho, e acha que não vai fazer mal nenhum a criança ir solta só por umas quadras. Errado! Infelizmente, acidentes podem acontecer em qualquer lugar, a qualquer hora, e não dá para garantir que estamos livres deles mesmo quando a distância é mais curta.

Acostume seu filho a ser colocado na cadeirinha sempre que entrar no carro, desde a saída da maternidade, assim você diminui o risco de birras quando ele ficar mais velho. Afinal, usar cinto dentro do carro tem que ser um hábito de segurança para o resto da vida – e para todo mundo!

 

6. Tirar da cadeirinha com o carro andando

Outra atitude errada é tirar a criança da cadeirinha, mesmo enquanto outra pessoa dirige. Caso aconteça algum imprevisto que a criança precise sair da cadeirinha, procure o lugar mais perto e seguro para parar o automóvel, mas não tire seu filho da cadeirinha com o carro andando.

 

7. Usar a cadeirinha em um carro só

O ideal é ter uma cadeirinha em cada carro. Caso isso não seja possível, programe-se para movimentar a cadeirinha de um veículo para o outro toda vez que seu filho for a algum lugar.

 

8. Levar as crianças soltas para caber mais gente no carro

É verdade que a cadeirinha do carro limita o número de pessoas que vão no banco de trás. Mas pense que o uso do cinto de segurança, mesmo no banco de trás, também é obrigatório, e só há três cintos no banco.

Acostume-se a pensar no seu carro com aquele número limitado de lugares. Em um carro de passeio normal, você só vai poder levar, com segurança absoluta, duas crianças pequenas (ou três se o assento do meio tiver cinto de três pontos).

 

Caso ainda tenha dúvidas, assista esse guia rápido e prático que ensina a colocar todos os equipamentos de retenção no carro.

 

A Pósitron incentiva o transporte de crianças com segurança!

 

Fonte: Criança Segura, Baby Center e G1

Todo começo de ano é igual para muitas famílias brasileiras: grande quantidade de dívidas herdadas do ano anterior somada às contas e despesas típicas do início do ano. Veja abaixo algumas dicas relacionadas ao setor automotivo para minimizar os danos e garantir que você não fique no vermelho em 2015.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Vale a pena pagar o IPVA à vista?

“Se o motorista tiver condição de pagar o imposto à vista, compensa até mesmo tirar o dinheiro da caderneta de poupança para este fim, já que ela está rendendo apenas 0,5% ao mês mais T.R., enquanto o desconto é bem maior”, sugere a consultora financeira Suyen Miranda.

Os descontos para pagamento à vista variam de 3% a 20%, de acordo com o estado em que é cobrado o referido imposto.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Preciso trocar meu carro, é um bom momento para compra de um veículo 0km?

Com a retomada da cobrança integral do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) para veículos, estima-se , em média, 4,5% de aumento no valor dos carros 0 km. Segundo a Pesquisa Nacional de Endividamento e Inadimplência do Consumidor da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) divulgada em Dezembro de 2014, 14,5% das famílias brasileiras tem dívidas relacionadas ao financiamento de carros, ficando atrás somente das dívidas com cartão de crédito e carnês.

Segundo o economista e doutorando em Economia pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Filipe Prado, “A melhor estratégia para o ano novo, em face do cenário adverso, é aguardar, gastar menos do que se ganha, e se possível, eliminar possíveis endividamentos já contratados e/ou em atraso”.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Meu carro tem o extintor tipo BC, devo aproveitar que a exigência da mudança para o tipo ABC foi adiada por 90 dias para prorrogar sua compra?

A medida de prorrogação da exigência do novo extintor foi tomada pelo Ministério das Cidades após motoristas de diversas regiões do país relatarem dificuldade para encontrar o equipamento à venda. Portanto deixar essa compra para última hora, não é uma boa ideia.

Mas qual a diferença entre os extintores BC e ABC? Segundo o Denatran, os extintores “ABC” são dotados de tecnologia mais eficiente e são capazes de apagar uma maior variedade de incêndios – desde os que tem como foco inicial sólidos combustíveis (revestimentos, estofamentos, pneus, painéis, tapetes, puxadores) até líquidos inflamáveis e equipamentos elétricos.

A partir de março, o condutor que for flagrado trafegando em desacordo será multado (infração grave e 5 pontos na CNH) no valor de R$ 127,90 e poderá ter seu veículo apreendido.

Estabelecer prioridades e planejamento financeiro são fundamentais para uma vida mais equilibrada e financeiramente saudável. “O sucesso está em saber como combinar, e em que qual quantidade, os interesses de longo e os de curto prazo. Ou seja, saber viver hoje, pensando financeiramente no amanhã”, conclui o economista Filipe Prado.

Fontes: Uol , Valor Econômico, G1 e Autoesporte.